Ferramentas e tecnologias a favor da informação no RH
0
 
0 Flares LinkedIn 0 Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 Email -- 0 Flares ×

A transformação da área de Recursos Humanos nas últimas décadas é gritante. Se nos anos 70 e 80 o RH não passava e um departamento de administração de pessoal e processamento de folha de pagamento, hoje os profissionais dessa área possuem responsabilidades cada vez mais importantes e impactantes na estratégia dos negócios da companhia. A evolução do RH, não por acaso, acontece paralelamente aos saltos evolutivos dos sistemas tecnológicos de gestão, desde os primeiros programas (ERP) até o que chamamos hoje de ‘gestão de pessoas na nuvem’ em que os dados estão na rede e podem ser acessados por qualquer um a qualquer momento e de qualquer lugar.

Mas as coisas não aconteceram num passe de mágica. O caminho foi (e em certa medida ainda é) árduo. Para voltar suas atenções para uma agenda estratégica, o RH teve de se familiarizar e usufruir de todo o potencial que a tecnologia oferece para encurtar diversos caminhos operacionais da gestão de pessoas. “Tudo começou pela folha de pagamento, enviando dados aos bureaus de processamento e depois, com o advento do computador, trazendo de volta esse processo para dentro de casa. Foi só a partir daí que os fornecedores de soluções em tecnologia para RH puderam começar a oferecer softwares mais complexos, acoplando serviços de consultoria, por exemplo”, conta Samanta.

Tal movimento trouxe ao RH a obrigação de se inteirar e tomar pé da situação. Ao perceber que a tecnologia não tinha vindo para roubar postos de trabalho, mas facilitar as tomadas de decisão, o gestor de RH passou a não temer o assunto.

De maneira pragmática, o RH que mais utiliza a tecnologia é aquele que entende e está alinhado e comprometido com o negócio da empresa. Tanto grandes corporações quanto as pequenas, verificaram a necessidade deste acompanhamento tecnológico. O fator ‘investimento’ só é um problema quando a cultura da empresa não está voltada para isso. Quando a corporação percebe que a tecnologia é algo bom para o seu desenvolvimento, o capital investido é visto como um retorno positivo.

Nessa esteira, medir o ROI (Retorno sobre o Investimento) é fundamental. Aqui, acima de tudo, deve prevalecer a parceria entre RH e TI. “Na verdade, essas duas áreas têm de conversar desde a contratação da solução mas, quando chega na hora de medir os resultados, essa dinâmica torna-se imprescindível”, opina Samanta.

Uma vez que a solução esteja parametrizada, ou seja, configuradas com as políticas de RH definidas, consegue-se identificar todos os pontos de melhorias individuais e coletivas dos colaboradores e reagir imediatamente à situação, se antecipar a cenários e ajudar os gestores na gestão das pessoas. “É para isso que a tecnologia serve: auxiliar a gestão. Hoje, o RH sabe muito mais disso e tem condições de argumentar com TI, Financeiro e Compras, o que mostra como a área evoluiu”.

Ferramentas e tecnologias a favor da informação no RH

Fonte.

DicaGP.com.br
Administradores.com.br
Portal.FGV.br/